Grupo de Estudos: O Mal-Estar na Atualidade

R$30,00
p/encontro

Mal-estar na atualidade - Espaço do Psicologo

MODALIDADE

Ao vivo (Skype)

ENCONTROS

Quizenais às quartas (20H)

CERTIFICADO

Digital de participação

Leonardo G. Wild

Psicanalista, com graduação em psicologia. Trabalha com psicoses no Instituto Casa Do Todos, clínico presencial e online. Criador do podcast psicanalizando e do canal só a cabecinha, ambos tendo como objetivo a transmissão da psicanálise lacaninana. Participou dos cursos e das discussões do grupo de transmissão e pesquisa em psicanálise do Instituto da Psicanálise Lacaniana (IPLA).

Pablo Teles

Psicanalista, com graduação em psicologia e especialização em saúde mental e imigração pela UNIFESP. Atua junto a pessoas em situação de vulnerabilidade social, à partir de instituições de assistência social e saúde publica, realizando atendimentos individuais e em grupo a população e de forma mais ampla no desenvolvimento de projetos de intervenção psicossocial nesses espaços. Trabalha também com atendimento clínico de forma online e/ou presencial tendo como referência a clínica lacaniana.

Resumo

Mal-estar na atualidade vem como uma ampliação do Grupo de Estudos sobre o texto: “O Mal-Estar na Civilização” (Freud, 1930), que ocorreu no segundo semestre de 2020 colocando em questão o sujeito que sofre hoje, na pós-modernidade.

Se em o Mal-estar na civilização Freud coloca que cada época gera seus próprios sintomas, o novo Grupo de Estudos vem propor uma exploração sobre essas novas saídas para a angústia constituinte do sujeito. Poderemos assim refletir quais seriam os “velhos sintomas” e o que do laço social atual produz os novos sintomas.

Proporcionaremos uma série de encontros que estabelece um espaço possível para reflexão da civilização desde o início da psicanálise, eminentemente marcada pelas histéricas, até Lacan, que nos alerta sobre o laço social estar mudando. Por essa modificação na civilização, os sintomas também haveriam de ser outros.
Visando pensar nos novos sintomas e nas formas de subjetivação da contemporaneidade, colocando em questão a sociedade na qual cada um de nós faz parte, refletiremos na responsabilidade de cada um perante essas novas formas de constituição subjetiva.

Nessa linha do coletivo, o trabalho em um grupo funda um espaço de encontro de diferentes áreas do conhecimento que possibilita as pessoas colocarem o discurso em circulação. Será a partir do encontro com um outro, que enuncia de um lugar diferente do qual eu suponho ocupar, que abrirá a possibilidade de colocar em questão as certezas do sujeito.

Nesse sentido, o grupo trabalhará a questão da subjetivação, da singularidade que tem relação direta com a formação dos novos sintomas e a civilização na qual estamos inseridos. Colocando assim em questão esse traço, estilo, que possibilita a vida em sociedade.

Sendo assim, será abordada as saídas contemporâneas, como consumo em excesso, toxicomanias, automutilação, pânico, depressão, aumento da medicalização e a relação que cada um estabelece com seu corpo.

Objetivo

O grupo trabalhará a questão da subjetivação, da singularidade que tem relação direta com a formação dos novos sintomas e a civilização na qual estamos inseridos. Colocando assim em questão esse traço, estilo, que possibilita a vida em sociedade.

Público Alvo

O grupo é aberto a todos aqueles cujo a vida e as modalidades de sofrimento na sociedade atual faz questão, seja no trabalho, nos estudos, na vida cotidiana. Para aqueles que observam o mal-estar a sua volta e/ou na própria pele. Não se resume a psicólogos e psicanalistas, pelo contrario, é um convite a alteridade, a diferença radical que marca cada um à patir de seu lugar singular convocando-os a fazer circular um discurso.

INSCRIÇÃO

OFERTA VÁLIDA POR TEMPO LIMITADO